a epÍstola aos romanos comentÁrio de russell p. shedd · a epÍstola aos romanos comentÁrio de...

of 6 /6
IGREJA BATISTA FUNDAMENTALISTA CRISTO É VIDA www.cristoevida.com ANO XXV - Nº 924 • forTaLeZa, 20 de Janeiro de 2013 Após uma saudação e ação de graças apropriadas, o apóstolo Paulo, apelando para um texto do Antigo Testamento (Hc 2:4), introduz o tema de sua epístola que é a justificação pela fé. Os três capítulos iniciais estabelecem o primeiro ponto principal: que todos os homens são pecadores. Paulo começa com uma descrição sobre a grosseira idolatria e imoralidade dos gentios; não obstante, em razão da exibição do poder de Deus na natureza e do testemunho da sua própria consciência, que diz que “são passíveis de morte os que tais coisas praticam”, os gentios são reputados responsáveis. Semelhantemente os judeus, embora recebedores favorecidos, dos oráculos de Deus, são também pecadores. Os gentios pecavam sem a lei – perecerão sem lei; os judeus pecam sob a lei – serão julgados pela lei. “Porque os simples ouvidores da lei não são justos diante de Deus, mas os que praticam a lei hão de ser justificados” (2:13). A EPÍSTOLA AOS ROMANOS COMENTÁRIO DE RUSSELL P. SHEDD

Upload: phungnhan

Post on 08-Nov-2018

247 views

Category:

Documents


0 download

TRANSCRIPT

IGREJA BATISTA FUNDAMENTALISTA CRISTO É VIDAwww.cristoevida.com

ANO XXV - Nº 924 • forTaLeZa, 20 de Janeiro de 2013

Após uma saudação e ação de graças apropriadas, o apóstolo Paulo, apelando para um texto do Antigo Testamento (Hc 2:4), introduz o tema de sua epístola que é a justifi cação pela fé.Os três capítulos iniciais estabelecem o primeiro ponto principal: que todos os homens são pecadores. Paulo começa com uma descrição sobre a grosseira idolatria e imoralidade dos gentios; não obstante, em razão da exibição do poder de Deus na natureza e do testemunho da sua própria consciência, que diz que “são passíveis de morte os que tais coisas praticam”, os gentios são reputados responsáveis. Semelhantemente os judeus, embora recebedores favorecidos, dos oráculos de Deus, são também pecadores. Os gentios pecavam sem a lei – perecerão sem lei; os judeus pecam sob a lei – serão julgados pela lei. “Porque os simples ouvidores da lei não são justos diante de Deus, mas os que praticam a lei hão de ser justifi cados” (2:13).

A epÍsTolA Aos romAnosComenTÁrio de russell p. sHedd

2

Todavia, ninguém é praticante da lei, nem judeus nem gentios; pois “... Não há justo, nem sequer um...” (3:10). Por isso também é que “...ninguém será justificado diante dele por obras da lei...” (3:20). Portanto, se alguém tiver de ser justificado, o próprio Deus é que deve suprir graciosamente a justiça necessária para o perdão. Isso é realizado em virtude do sacrifício propiciatório de Cristo. Seu sangue derramado satisfaz a justiça de Seu Pai, pelo que Deus pode ser tanto o justo como o justificador daquele que tem fé em Jesus. O quarto capítulo, que aborda o caso de Abraão como o principal exemplo do tema, explica ainda como Deus imputa justiça à parte das obras. Em seguida, o capítulo quinto compara Adão com Cristo. Todos aqueles que são representados por Adão foram feitos pecadores por sua única ofensa; mas todos quantos estão em Cristo são feitos justos através de Sua obediência. Em resposta à acusação de que a justificação pela fé encoraja o pecado “Permaneceremos no pecado, para que seja a graça mais abundante?” (6:1) – o apóstolo explica que o crente sincero voltou-se para Cristo a fim de escapar do pecado. Justificação produz santificação; e a própria luta da santificação (7:14-25) é uma evidência que já escapamos da condenação. Por conseguinte, dependendo da predestinação (8:29) e do imutável amor de Deus (8:39), podemos ter a certeza da salvação. A justificação pela fé, a rejeição dos judeus, e a inclusão dos gentios não são coisas incoerentes com as promessas de Deus a Israel. Deus escolheu Isaque e rejeitou a Ismael; Deus escolheu Jacó e rejeitou a Esaú. Essas escolhas e rejeições são inerentes às próprias promessas. A escolha de Deus é soberana. Entretanto, chegará o dia quando os judeus como um todo, serão novamente restaurados.

Coliseu - Roma - Onde vários cristãos foram mortos.

3

Por causa dessas misericórdias divinas, cada crente deveria preencher a sua função particular na Igreja com diligência e simplicidade. Semelhantemente, no estado, cada crente deve ser um bom cidadão. E nas questões sociais os crentes mais maduros deveriam acomodar-se aos irmãos mais fracos, que ainda estão presos a escrúpulos supersticiosos.Finalmente, Paulo expressa a sua esperança de visitar os romanos a caminho da Espanha, e conclui a epístola com uma vintena de saudações pessoais.

mArAvilHosA grAçAesTudo do livro de romAnos

Estamos estudando a maravilhosa Epístola de Paulo, o livro de Romanos, nas Classes de Adolescentes,

Jovens e Adultos. Não perca esse privilégio e oportunidade de conhecer mais profundamente sobre

esse livro da Bíblia e aprendermos mais sobre a Maravilhosa Graça de Deus.

4

A TeologiA do gênio dA lâmpAdA

TexTos edificanTes

Você já lutou para vencer um hábito ruim em sua vida? Com certeza já! Todos nós passamos por isso. Entretanto, muitos cristãos não lutam de fato com o pecado quando estão “lutando” com ele. Ao contrário, eles simplesmente confessam seu pecado a Deus, oram pedindo que Ele os ajude a mudar e se levantam rapidamente esperando que Deus, de alguma forma, estale os dedos com uma medida especial de graça que lhes capacitará a jamais cometer aquele pecado novamente, sem qualquer (ou com muito pouco) esforço da parte deles. É isso que, por vezes, chamamos de a teologia do gênio da lâmpada.

A santificação progressiva é, obviamente, um ato de Deus, mas também é um processo que requer nossa cooperação. Ele não se limita a orarmos pedindo que Deus nos transforme. Precisamos também fazer o que a Bíblia diz ser necessário fazer, nos “despojarmos” do pecado e nos “revestirmos” de Cristo. A mudança é um processo duplo para o cristão. Na realidade, nos despojamos do pecado revestindo-nos do antídoto bíblico. Trocando em miúdos, os cristãos não interrompem hábitos – os descrentes sim. Os cristãos substituem hábitos maus por hábitos bons.

Parar de mentir não é o suficiente para o cristão que mente habitualmente. Ele precisa fazer de seu alvo ser alguém verdadeiro, isto é, que fale a verdade. “Por isso deixai a mentira, e falai a verdade cada um com o seu próximo; porque somos membros uns dos outros.” - Ef 4.25. Parar de roubar não é suficiente para um ladrão. Ele precisa não somente despojar-se de roubar, mas precisa também revestir-se de diligência e generosidade. “Aquele que furtava, não furte mais; antes trabalhe, fazendo com as mãos o que é bom, para que tenha o que repartir com o que tiver necessidade.” - Ef 4.28

Essa dinâmica de despojar e revestir pode acontecer apenas à medida que a mente é renovada pelo Espírito.

“Que, quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe pelas concupiscências do engano; E vos renoveis no espírito da vossa mente; E vos revistais do novo homem, que segundo Deus é criado em verdadeira justiça e santidade.” (Ef 4.22-24 - ênfase acrescentada).

A Palavra de Deus é fundamental para produzir uma mudança duradoura em sua vida. O Espírito Santo toma as passagens bíblicas que você assimilou (através da leitura bíblica, estudo, memorização, meditação, etc.) e o muda (transforma) a partir de seu interior. “E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.” (Rm 12.2). É impossível ser adequadamente santificado sem a Palavra de Deus.

(Texto extraído e adaptado do livro O caminho para o filho andar de Lou Priolo)

5

LeiTura para consagração

– Pr. José Nogueira –

“Também, irmãos, vos fazemos conhecer a graça de Deus dada às igrejas da Macedônia; como em muita prova de tribulação houve abundância do seu gozo, e como a sua profunda pobreza abundou em riquezas da sua generosidade. Porque, segundo o seu poder (o que eu mesmo testifico) e ainda acima do seu poder, deram voluntariamente” (2 Coríntios 8:1-3).

Para o apóstolo Paulo a ação das Igrejas da Macedônia (de Filipos, Tessalônica e Beréia) em dar voluntariamente conforme suas posses e acima de suas condições (sacrificialmente) era, antes de tudo, uma reação à graça de Deus que operava em suas vidas. É maravilhoso entender e crer na Mordomia Cristã sob este aspecto da Palavra de Deus. É uma poderosa e bela graça de Deus agindo em nossas vidas, fazendo-nos reagir com voluntariedade, fidelidade e generosidade.

Assim podemos entender as virtudes do povo de Deus em dar e contribuir para a obra de Deus – atributos que só podem ser vistos em corações que foram transformados pela graça de Deus, por isso o mundo não pode entender nem imitar: 1 – Ofertamos a primeira parte de nossa renda – Isto se chama PRIORIDADE: “Honra ao SENHOR com os teus bens, e com a primeira parte de todos os teus ganhos” – Provérbios 3:9. Devolvemos nossos dízimos e damos nossas ofertas como PRIMÍCIAS, assim honramos ao SENHOR, expressando o lugar que Ele ocupa em nossas vidas, e por confiar que Ele mesmo suprirá todas as nossas necessidades.

2 – Damos do melhor que temos – Isto se chama QUALI-DADE: “As tuas primícias, e os teus licores não retardarás; o primogênito de teus filhos me darás” (Êxodo 22:29). Deus nunca aceitou as sobras. Ele entristeceu-se quando Seu povo quis Lhe oferecer coisas defeituosas. Por isso Davi afirmou que nunca iria oferecer a Deus algo que não lhe custasse sacrifício, pois queria sempre dar o melhor a Deus.

3 – Doamos com alegria – Isto se chama GRATIDÃO: “Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria” (2 Coríntios 9:7). Sentimos alegria, e damos alegremente por reconhecer que todas as boas dádivas foram derramadas sobre nós pelo SENHOR, e assim, em gratidão e reconhecimento, queremos ofertar. Não é por a obra de Deus precisar, nem por constrangimento, mas por gratidão a Deus.

4 – Devolvemos primeiramente os dízimos do SENHOR – Isto se chama FIDELIDADE. E, depois, damos ofertas – Isto se chama GENEROSIDADE: “Roubará o homem a Deus? Todavia vós me roubais, e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas” (Malaquias 3:8).

Façamos a Consagração dos nossos dízimos e ofertas, como crentes no Senhor Jesus Cristo, honrando-O com nossas vidas, dons, talentos e bens. Leiamos 1 Crônicas 29:10 a 20.

A grAçA de devolver e oferTAr A deus

JANEIRO Dia 20 – Devocional: Rômulo - Mensagem: Pr. Joaquim Dia 26 – Treinamento EBEC (Respons. Paula) Dia 27 – Devocional: Bruno- Mensagem: Evang. Hércules FEVEREIRO(Rodolfo na Congregação do Genibaú)02 (sábado): 18 h - Encontro Pastoral com os Namorados03 (domingo): EBD: Ceia do SENHOR07( quinta-feira): Início do Semestre I do CBD/CTBPL09 a 12 (Carnaval): Celebrando a Família 201316 (sábado): 18 h - Encontro Pastoral com os Noivos

IGREJA BATISTA FUNDAMENTALISTA CRISTO É VIDAAv. K, nº 911 - Planalto da Barra - Fortaleza - CE

Telefone: (85) 3286.3330 - Pr. José Nogueira(9912-0017 e 8899-0476)Jornalista Resp.: Mariana Cadete - MTB-CE 01820-JP

Boletim interno, semanal e gratuito • Tiragem: 500 cópias • www.cristoevida.com

INFORMISSÕES

caLendÁrio da igreJa – 2013

noTas & noTÍcias

Pastor Nogueira e família estão de férias no mês de janeiro, estejamos orando pela vida de nosso amado pastor e, pela

liderança que o tem substituido nesse mês.

Tema: Família - Edificar, Restaurar e Fortalecer

Versículo: “Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa” - Atos 16:31

Data: 09 a 12 e 17 de Fevereiro

26/01 - 8h às 17hTaxa: 25 reais (Material e

almoço incluso)Inscrições: com a Paula

até o dia 25/01

FÉRIASPASTORIAIS

LeiTura Para CoNsagraÇÃo Dia 20: Aragão e Jane; Dia 27: Karlos e Ana Paula;

INFORMISSÕESINFORMISSÕES

CeLeBraNDo a FaMÍLia 2013

TREINAMENTO DA EBEC