can†ƒo do exlio

Download CAN‡ƒO DO EXLIO

Post on 29-Nov-2014

4.692 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

TRANSCRIPT

  • 1. GONALVES DIAS
  • 2. Antnio Gonalves Dias (1823-1864) nasceuno dia 10 de agosto de 1823, nos arredoresde Caxias, no Maranho.Era filho de um comerciante portugus e umamestia.Iniciou seus estudos no Maranho e aindajovem viaja para Portugal.
  • 3. Em 1838, Gonalves Dias estuda no Colgiodas Artes em Coimbra, onde conclui o cursosecundrio.Em 1940 ingressa na Universidade de Direitode Coimbra, onde tem contato com escritoresdo romantismo portugus.Ainda em Coimbra, em 1843, escreve seufamoso poema "Cano do Exlio", ondeexpressa o sentimento da solido e do exlio.
  • 4. Volta ao Maranho em 1845, depois de formadoem Direito na Universidade de Coimbra.Ocupa vrios cargos para o governo imperial erealiza diversas viagens Europa.Conhece Ana Amlia Ferreira do Vale, por quemse apaixonou, mas por ele ser mestio, a famliadela no permite o casamento.Mais Tarde casa-se com Olmpia da Costa, comquem no foi feliz.
  • 5. Exerceu o cargo de oficial da Secretaria de NegciosEstrangeiros, foi vrias vezes Europa e em 1854, emPortugal, encontra-se com Ana Amlia, j casada. Esseencontro inspira o poeta a escrever o poema "Aindauma vez adeus!".Em 1862, Gonalves Dias doente, vai Europa, paratratamento de sade, sem resultado, embarca de voltano dia 10 de setembro de 1864.No dia 3 de novembro o navio francs Ville deBoulogne em que estava, naufraga perto do Farol deItacolomi, na costa do Maranho, onde o poeta falece.
  • 6. Cano do Exlio
  • 7. Minha terra tem palmeiras,Onde canta o Sabi;As aves, que aqui gorjeiam,No gorjeiam como l.Nosso cu tem mais estrelas,Nossas vrzeas tm mais flores,Nossos bosques tm mais vida,Nossa vida mais amores.
  • 8. Em cismar, sozinho, noite, Mais prazer eu encontro l; Minha terra tem palmeiras, Onde canta o Sabi. Minha terra tem primores, Que tais no encontro eu c;Em cismar sozinho, noite Mais prazer encontro eu l; Minha terra tem palmeiras, Onde canta o Sabi.
  • 9. No permita Deus que eu morra, Sem que eu volte para l; Sem que desfrute os primores Que no encontro por c;Sem quinda aviste as palmeiras, Onde canta o Sabi..
  • 10. OUTRAS VERSES
  • 11. Carlos Drummond de Andrade NOVA CANO DO EXLIOUm sabi na palmeira, longe.Estas aves cantam um outro canto.O cu cintila sobre flores midas.Vozes na mata, e o maior amor.S, na noite,seria feliz: um sabi, na palmeira, longe.Onde tudo belo e fantstico, s, na noite, seria feliz.(Um sabi, na palmeira, longe.)Ainda um grito de vida e voltar para onde tudo belo efantstico: a palmeira, o sabi, o longe.
  • 12. Oswald de Andrade CANTO DE REGRESSO PTRIAMinha terra tem palmaresOnde gorjeia o marOs passarinhos daquiNo cantam como os de lMinha terra tem mais rosasE quase tem mais amoresMinha terra tem mais ouroMinha terra tem mais terraOuro terra amor e rosasEu quero tudo de lNo permita Deus que eu morraSem que volte pra So PauloSem que eu veja a rua 15E o progresso de So Paulo
  • 13. Murilo Mendes CANO DO EXLIO Minha terra tem macieiras da Califrnia Onde cantam gaturamos de Veneza Os poetas da minha terra So pretos que vivem em torres de ametista, Os sargentos do exrcito so monistas, cubistas, Os filsofos so polacos vendendo a prestaes. A gente no pode dormir Com os oradores e os pernilongosOs sururus em famlia tm por testemunha a Gioconda. Eu morro sufocado Em terra estrangeira. Nossas flores so mais bonitas Nossas frutas so mais gostosas Mas custam cem mil ris a dzia. Ai quem me dera chupar uma carambola de verdade E ouvir um sabi com certido de idade !
  • 14. J Soares CANO DO EXLIO S AVESSAS Minha Dinda tem cascatas onde canta o curi No permita Deus que eu tenha De voltar pra Macei. Minha Dinda tem coqueiros Da ilha de Maraj As aves, aqui, gorjeiam, no fazem cocoric. O meu cu tem mais estrelas Minha vrzea tem mais cores. Este bosque reduzido Deve ter custado horrores. E depois de tanta planta, Orqudea, fruta e cip No permita Deus que eu tenha De voltar pra Macei.
  • 15. Minha Dinda tem piscina, Heliporto e tem jardim Feito pelas Brasils Garden No foram pagos por mim. Em cismar sozinho noite Sem gravata e palet Olho aquelas cachoeiras Onde canta o curi. No meio daquelas plantas Eu jamais me sinto s.No permita Deus que eu tenha de voltar pra Macei. Pois no meu jardim tem lago Onde canta o curi E as aves que l gorjeiam So to pobres que do d.
  • 16. Minha Dinda tem primores de floresta tropical Tudo ali foi transplantado Nem parece natural Olho a jabuticabeira Dos tempos da minha av.No permita Deus que eu tenha de voltar pra Macei. At os lagos das carpas So de gua mineral. Da janela do meu quarto Redescubro o Pantanal Tambm adoro as palmeiras Onde canta o curi No permita Deus que eu tenha De voltar pra Macei.
  • 17. Finalmente, aqui na Dinda, Sou tratado a po-de-l S faltava envolver tudo Numa nuvem de ouro em p. E depois de ser cuidado Pelo PC com xod,no permita Deus que eu tenha de voltar pra Macei.