RÓDROMO DE PONTE DE SOR – 2ª ?· MUNICÍPIO DE PONTE DE SOR EIA da Ampliação da Área de Manobra…

Download RÓDROMO DE PONTE DE SOR – 2ª ?· MUNICÍPIO DE PONTE DE SOR EIA da Ampliação da Área de Manobra…

Post on 04-Dec-2018

215 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • AV

    ALIA

    O D

    E I

    MP

    AC

    TE A

    MB

    IEN

    TA

    L D

    A

    AM

    PLIA

    O D

    A

    REA

    DE M

    AN

    OB

    RA

    DO

    AER

    D

    RO

    MO

    DE P

    ON

    TE D

    E S

    OR

    2

    FA

    SE

    ESTUDO DE IMPACTE AMBIENTAL

    Resumo No Tcnico

    Novembro de 2010

  • MUNICPIO DE PONTE DE SOR

    EIA da Ampliao da rea de Manobra do Aerdromo Municipal projectos, gesto e avaliao ambiental, lda

    Novembro, 2010 iii Resumo No Tcnico

    Estudo de Impacte Ambiental da

    Ampliao da rea de Manobra do Aerdromo

    Municipal de Ponte de Sor-2 Fase

    - Fase de Projecto de Execuo -

    RESUMO NO TCNICO

    Tomo I Relatrio

    Tomo II Anexos (Documentos Complementares e Anexos Tcnicos)

    Tomo III Resumo No Tcnico

    Tomo IV Aditamento

    Novembro de 2010

    Projecto n. A025

  • MUNICPIO DE PONTE DE SOR

    projectos, gesto e avaliao ambiental, lda EIA da Ampliao da rea de Manobra do Aerdromo Municipal

    Novembro, 2010 iv Resumo No Tcnico

  • MUNICPIO DE PONTE DE SOR

    EIA da Ampliao da rea de Manobra do Aerdromo Municipal projectos, gesto e avaliao ambiental, lda

    Novembro, 2010 v Resumo No Tcnico

    RESUMO NO TCNICO

    NDICES

    ndice de texto

    NDICES ................................................................................................................................................ V

    I. INTRODUO ............................................................................................................................... 1

    II. JUSTIFICAO E BREVE DESCRIO DO PROJECTO ...................................................................... 1

    III.LOCALIZAO E ACESSOS ............................................................................................................. 3

    IV. CARACTERIZAO DA SITUAO DE REFERNCIA ........................................................................ 6

    V. EVOLUO DA SITUAO DE REFERNCIA SEM O PROJECTO ........................................................ 8

    VI. AVALIAO DE IMPACTES E MEDIDAS DE MINIMIZAO A ADOPTAR ........................................... 8

    VI.1. ATMOSFERA ............................................................................................................ 8

    VI.1. GEOLOGIA, GEOMORFOLOGIA E GEOTECNIA ........................................................................ 9

    VI.2. SOLOS: CAPACIDADE DE USO E OCUPAO ........................................................................ 9

    VI.3. RECURSOS HDRICOS SUPERFICIAIS ................................................................................ 9

    VI.4. RECURSOS HDRICOS SUBTERRNEOS ............................................................................ 10

    VI.5. PATRIMNIO NATURAL .............................................................................................. 10

    VI.6. PAISAGEM ............................................................................................................ 11

    VI.7. ORDENAMENTO DO TERRITRIO ................................................................................... 11

    VI.8. SCIO-ECONOMIA ................................................................................................... 11

    VI.9. AMBIENTE SONORO ................................................................................................. 12

    VI.10. PATRIMNIO CULTURAL ............................................................................................. 12

    VII.PROGRAMA DE MONITORIZAO ................................................................................................ 12

  • MUNICPIO DE PONTE DE SOR

    EIA da Ampliao da rea de Manobra do Aerdromo Municipal projectos, gesto e avaliao ambiental, lda

    Novembro, 2010 1 Resumo No Tcnico

    I. INTRODUO

    O presente documento constitui o Resumo No Tcnico (RNT) do Estudo de Avaliao de

    Impacte Ambiental (EIA) da Ampliao da rea de Manobra do Aerdromo Municipal de Ponte de

    Sor 2 Fase. O EIA referido constitudo por um volume de Relatrio, um volume de Anexos

    Tcnicos e o documento referente ao Resumo No Tcnico que aqui se apresenta.

    Com a elaborao de um Resumo No Tcnico, pretende-se resumir e traduzir em linguagem

    simples e clara toda a informao do EIA relevante para a compreenso do projecto bem como dos

    seus efeitos para o ambiente e populao.

    O aerdromo de Ponte de Sor uma infra-estrutura existente, que com as caractersticas

    actuais, apenas permite operaes do tipo VFR (Visual Flight Rules), ou seja, operaes de acordo

    com as regras de voo visual entre o nascer do Sol menos 25 minutos e o pr-do-sol mais 25

    minutos diurno, possuindo por isso utilizao diurna.

    O promotor do Projecto em anlise a Cmara Municipal de Ponte de Sor. O Estudo de Impacte

    Ambiental, elaborado em fase de Projecto de Execuo foi realizado pela Ambisitus Projectos,

    Gesto e Avaliao Ambiental, Lda no perodo correspondente entre Junho e Agosto de 2010.

    A entidade licenciadora do projecto a Cmara Municipal de Ponte de Sor.

    II. JUSTIFICAO E BREVE DESCRIO DO PROJECTO

    O objectivo principal da ampliao do Aerdromo Municipal de Ponte de Sr, o acolhimento da

    Base Principal de Meios Areos do Ministrio da Administrao Interna, representado pela Empresa

    de Meios Areos, SA (EMA). O Aerdromo Municipal de Ponte de Sor passa a ser utilizado para

    instalao da base principal de meios areos prprios e permanentes daquele Ministrio para as

    misses, deslocaes e destacamentos no mbito do combate a incndios florestais, proteco civil

    e segurana interna.

    Adicionalmente, o aerdromo ter tambm uma utilizao pblica, permitindo o seu uso por

    aviao civil e comercial.

    O Aerdromo Municipal de Ponte de Sor era uma infra-estrutura existente, j certificada pelo

    Instituto Nacional de Aviao Civil (INAC), constituda pelos seguintes elementos (ver Figura 1):

    Uma pista de 800 metros de comprimento e 23 metros de largura;

    Um taxiway paralelo com 900 metros de comprimento e 10,5 m de largura, cujo eixo se encontra afastado 37,5 metros do eixo da pista;

    Quatro taxiways de ligao, entre a pista e o taxiway principal;

    Uma placa de estacionamento com cerca de 11 725 m2;

    Quatro hangares com uma rea bruta de construo de 1760 m2;

    Dois edifcios de apoio;

    Dois parques de estacionamento e um acesso directo EN2.

    Por taxiway entende-se uma faixa de pista que permite a movimentao das aeronaves de/e

    para a pista ou placa de estacionamento.

  • MUNICPIO DE PONTE DE SOR

    projectos, gesto e avaliao ambiental, lda EIA da Ampliao da rea de Manobra do Aerdromo Municipal

    Novembro, 2010 2 Resumo No Tcnico

    Figura 1 Aerdromo Existente em Janeiro de 2009

    Aps o Aerdromo Municipal ter sido seleccionado, ao nvel nacional, para receber a base

    principal dos meios areos de combate aos incndios e Proteco Civil, tornou-se imperativo a sua

    adaptao a estas novas funes. Para cumprir com as exigncias da condio atrs referida, a

    pista ter de que possuir um cumprimento superior a 1500 metros, que lhe permita ser utilizada

    por helicpteros pesados (tipo Kamov Ka 32 A11BC e Ecureuil AS350) para alm de outros avies

    de maior envergadura (Beriev BE200ES) a adquirir ou a alugar pelo Estado Portugus com fins

    consagrados nos interesses do pas e proteco civil. Adicionalmente pretende-se a possibilidade de

    utilizao nocturna da infra-estrutura.

    Assim a ampliao da rea de manobra do aerdromo engloba os seguintes pontos:

    Construo da nova pista (com um total de 1800m);

    Prolongamento da pista actual e passagem da mesma a taxiway paralelo (Taxiway A);

    Execuo de 2 taxiways de ligao entre as duas ltimas;

    Pintura e sinalizao diurna e preparao de instalaes para a implementao posterior da sinalizao luminosa;

    Execuo e provimento de um sistema de drenagem profundo.

    Devido a urgncia em concluir a infra-estrutura, nomeadamente devido aos compromissos

    assumidos pelo Municpio, foram iniciadas as obras de ampliao, considerando a municpio que

    apenas a construo do ltimo troo da pista (designado por soleira deslocada), com 305 m

    enquadraria o projecto no procedimento de Avaliao de Impacte Ambiental. Este procedimento,

    regido pelo Decreto-Lei n. 69/2000 de 3 de Maio, na sua actual redaco obriga realizao de

    um Estudo de Impacte Ambiental para os projectos de construo de aerdromos com pista

    superior a 1500m.

    Desta forma foram j construdos cerca de 1495 m da nova pista, foi instalado o sistema de

    drenagem profunda, foram construdos os taxiways de ligao B e C e iniciado o A (que

    corresponde em parte pista pr-existente), faltando executar o troo de pista correspondente

  • MUNICPIO DE PONTE DE SOR

    EIA da Ampliao da rea de Manobra do Aerdromo Municipal projectos, gesto e avaliao ambiental, lda

    Novembro, 2010 3 Resumo No Tcnico

    soleira deslocada, a pintura da sinalizao diurna e instalao da sinalizao luminosa (ver imagem

    da pgina seguinte).

    Uma vez que o projecto se desenvolve a partir de uma infra-estrutura existente, no foram

    consideradas alternativas.

    O horizonte do projecto de 30 anos.

    III. LOCALIZAO E ACESSOS

    O aerdromo localiza-se na localidade de gua-todo-o-ano, freguesia de Tramaga, concelho e

    Ponte de Sor. Em termos de acessos, o aerdromo servido directamente pela EN2/IC13,

    situando-se a poente desta infra-estrutura. O aglomerado mais prximo Tramaga, seguindo-se

    Ervideira e Ponte de Sor (ver Figura 2 e Figura 3).

    Figura 2 Localizao da rea em estudo

  • Pista

    Taxiway (Tw)

    Hangar EMA

    Hangares outras entidades

    Acesso exterior

    Portaria

    Taxiway a executar (Tw)

    (Janeiro 2009)

  • MUNICPIO DE PONTE DE SOR

    EIA da Ampliao da rea de Manobra do Aerdromo Municipal projectos, gesto e avaliao ambiental, lda

    Novembro, 2010 5 Resumo No Tcnico

    Figura 3 Localizao do Projecto

  • MUNICPIO DE PONTE DE SOR

    projectos, gesto e avaliao ambiental, lda EIA da Ampliao da rea de Manobra do Aerdromo Municipal

    Novembro, 2010 6 Resumo No Tcnico

    IV. CARACTERIZAO DA SITUAO DE REFERNCIA

    Na caracterizao da situao de referncia optou-se por abordar a situao do local antes do

    incio das obras de ampliao e no aps a concluso da primeira fase, por se considerar que esta

    ser a abordagem mais coerente.

    O clima da regio possui caractersticas mediterrnicas, caracterizando-se pela existncia de um

    perodo seco, em que a temperatura superior ao dobro da precipitao, coincidindo com o

    perodo mais quente, pelo que nestes meses (Junho a meados de Setembro) se verifica maior

    escassez hdrica. O semestre mais frio (Novembro a Abril) corresponde ao perodo e que h mais

    humidade.

    Ao nvel da qualidade do ar, os dados existentes, de mbito regional, indicam uma boa

    qualidade do ar na regio.

    Em termos geolgicos e geomorfolgicos a rea em estudo corresponde a uma rea de

    ondulaes suaves integrada na Bacia Terciria do Tejo e Sado onde predominam formaes

    geolgicas de dois perodos: arenitos, argilas e conglomerados e depsitos de terraos fluviais.

    No que respeita aos solos afectados, verifica-se que de uma forma geral no possuem aptido

    agrcola embora sejam aptos para uso florestal, classificando-se a sua aptido como mdia a

    elevada para as cinco espcies florestais principais da regio: sobreiro, azinheira, pinheiro-bravo,

    pinheiro-manso e eucalipto. De facto referido que cerca de 60% do concelho ocupado por

    montados de sobro e azinho.

    Em termos de ocupao da rea afecta ampliao verificou-se que no local predominava a

    ocupao florestal, constituda essencialmente por povoamentos mistos de sobreiros e azinheiras e

    matos em cerca de 49% da rea. Em cerca de 23% da rea existiam eucaliptos, em 12% da rea

    existia um olival, as ocupaes mais diminutas correspondiam a uma rea irrigada de milho e a

    uma pequena charca de rega, que no total representavam cerca de 4% da rea. O aerdromo

    existente correspondia a aproximadamente 13% da rea total.

    O projecto integra-se na totalidade na bacia hidrogrfica da Ribeira de Sor, um dos afluentes

    principais da margem direita do Rio Sorraia, por sua vez afluente da margem esquerda do Rio Tejo.

    A rea em estudo caracteriza-se por possuir uma rede hidrogrfica bastante ramificada, sendo a

    Ribeira de Marvila a linha de gua mais importante das proximidades. O terreno de implantao

    atravessado por vrias linhas de gua de carcter temporrio que drenam a rea na direco da

    Ribeira de Sor, directamente para esta ou atravs da Ribeira de Marvila, situada imediatamente a

    Sul da rea em estudo.

    Analisando agora os recursos hdricos subterrneos, verifica-se que o projecto se desenvolve

    sobre uma rea de recarga dos aquferos subterrneos que possui uma vulnerabilidade poluio

    considervel.

    O patrimnio natural da regio rico, tendo sido referenciadas para a rea cerca de 67 espcies

    de aves, 20 espcies e mamferos, 7 espcies de anfbios, 9 espcies de rpteis e 12 espcies de

    peixes (referenciados na Ribeira de Sor). Destas, destacam-se trs espcies de aves, um mamfero

    e trs espcies de peixes por possurem estatuto de ameaa, de acordo com o Livro Vermelho dos

    Vertebrados de Portugal.

    Adicionalmente, nas proximidades da rea de interveno, cerca de 1050 m a nascente, situa-

    se uma rea considerada sensvel, de acordo com o Decreto-Lei n.69/2000 de 3 de Maio, na sua

    redaco actual. Esta rea o Stio da Rede Natura 2000 do Cabeo. Esta rea classificada

  • MUNICPIO DE PONTE DE SOR

    EIA da Ampliao da rea de Manobra do Aerdromo Municipal projectos, gesto e avaliao ambiental, lda

    Novembro, 2010 7 Resumo No Tcnico

    caracteriza-se por uma plancie com ondulaes suaves, assente em solos arenosos, onde o

    coberto vegetal essencialmente constitudo por montados de sobro bem conservados, aos quais

    est associado uma utilizao pecuria extensiva. Ocorrem tambm alguns montados de azinho.

    Paisagisticamente, a rea em estudo tipicamente alentejana, dominada pelo montado,

    inteiramente construdo, em que todos os traos se devem histria agrria e ao trabalho humano

    que transformaram a paisagem num sistema de uso agro-silvo-pastoril extensivo associado

    explorao fundiria. Os declives so suaves, enquadrando-se a rea entre cotas que variam entre

    os 115 e os 125 m.

    O instrumento de gesto territorial vinculativo para os particulares em vigor na rea o PDM de

    Ponte de Sor. De acordo com a Carta de Ordenamento, estava previsto para o local um aerdromo,

    no havendo no entanto a definio de uma rea de implantao. Assim o projecto desenvolve-se

    essencialmente sobre terrenos classificados como Espaos Agrcolas, nas categorias de reas de

    Uso ou Aptido Agrcola ou reas Agrcola Preferncias. Esta ltima categoria corresponde a

    reas integradas e Reserva Agrcola Nacional, que corresponde a cerca de 1% do total da rea do

    projecto.

    No que respeita a outras condicionantes legais, cerca de 82% do terreno corresponde a Reserva

    Ecolgica Nacional, nomeadamente ao sistema reas de Mxima Infiltrao havendo tambm

    uma fraco importante ocupada por montado de sobro e azinho, comunidades vegetais protegidas

    por lei. Para a utilizao legal destes terrenos, o Municpio obteve pareceres favorveis das

    respectivas entidades de tutela, como seja a Comisso Nacional da Reserva Ecolgica Nacional e a

    Comisso Regional de Reserva Agrcola. No caso do montado de sobro e azinho a lei s permite o

    arranque e corte destes povoamentos aps a Declarao de Imprescindvel Utilidade Pblica, que

    neste caso...

Recommended

View more >