cópia de cópia de jose_oliverio

45
1

Upload: api-19735310

Post on 18-Nov-2014

281 views

Category:

Documents


0 download

TRANSCRIPT

Page 1: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

1

Page 2: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

São Paulo, José Luiz Olivério01/09/2009 Dedini S/A Indústrias de Base

2

Planta Flexível de Biodiesel ...Uma solução atual e que também atende ao futuro !!!

GRANOL – PLANTA DE BIODIESEL

Page 3: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

O que NÃO é Biodiesel?

Óleo vegetal ou animal

Biodiesel

Diesel

Óleos e Gorduras

HH33CC--CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22--CHCH33

HH33CC--CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22--COCHCOCH22

HH33CC--CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22--COCHCOCH

HH33CC--CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22--COCHCOCH22

O

O

O

3

Page 4: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

O que NÃO é Biodiesel?

Mistura de etanol com diesel

Biodiesel

HH33CC--CHCH22OHOH

Etanol

Diesel

HH33CC--CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22--CHCH33

(+)

4

Page 5: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

O que NÃO é Biodiesel?

Hidrogenação e fracionamento de óleos como carga de refinarias de petróleo: H-Bio

Biodiesel

DieselHH33CC--CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22-- CHCH22--CHCH33

5

Page 6: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

O que é Biodiesel ?

Produto da reação química entre álcool e óleo vegetal ou animal (Triglicerídeo) com o propósito de substituir integralmente, ou parcialmente, o diesel.

+Produto

ÉsterÉster

Especificação

ENASTMANP

ENASTMANP

Biodiesel

6

Page 7: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

Reação de produção do Biodiesel

Óleo vegetal BiodieselÁlcool Glicerina

1000 kg 108 kg (metanol) 104 kg 1004 kg+ +1000 kg 156 kg (etanol) 104 kg 1052 kg+ +

Biodiesel

Metanol

7

Page 8: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

8

Etil Biodiesel

Metil Biodiesel

Biodiesel Biodiesel –– Etil ou MetilesterEtil ou Metilester

DIESEL X BIODIESELDIESEL X BIODIESEL

Diesel Diesel -- HidrocarbonetosHidrocarbonetos

Biodiesel

Page 9: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

CARACTERÍSTICAS: óleo vegetal X diesel X biodiesel

Característica Óleo Vegetal(soja) Diesel Biodiesel

(soja) Problema

Viscosidade InjeçãoDepósito

Comb.Deficiente33 1,5 a 5,5 4,4

Índice deCetano 38 Mín. 45 48,2 Combustão

deficiente

Biodiesel

9

Page 10: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

Tecnologias

1ª patente de BiodieselBélgica - 1937

Biodiesel na Europa

10

Page 11: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

Biodiesel na Europa

Produção Industrial : Áustria em 1991 em Aschach

• EN 14.214

Características óleo de colza:

Caracteristica unidade valor

FFA % 1,75 max.Umidade % 0,4Índice de iodo g / 100g 97-115

FFA: “Free Fat Acid” (Ácido Graxo Livre)11

Page 12: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

EspecificaçãoCaracterística Unidade EUROPA

Especificação EN 14214

Massa espec. 15°C g/cm³ 0.86-0.90

Viscosidade 40°C mm²/s 3.5-5.0

Destilação % , °C - - -

Flash point °C 120 min

CFPP °C espec. país

Enxofre mg/kg 10 max

Resíduo C (%dist.resíduo) %mass 0.3 max (10%)

Cinzas sulfatadas %mass 0.02 max

Umidade mg/kg 500 max

Contaminação total mg/kg 24 max

Corrosão Cu max 3h/50°C 1

Estabilidade oxidativa hrs;110°C 6 h min

Número de cetano 51 min

Índice de acidez mgKOH /g 0.5 max

Metanol (ou etanol) %mass 0.20 max

Teor de éster %mass 96.5 min

Monoglicerídeo %mass 0.8 max

Diglicerídeo %mass 0.2 max

Triglicerídeo %mass 0.2 max

Glicerol livre %mass 0.02 max

Glicerol total %mass 0.25 max

Índice de iodo g/100g 120 max

Fósforo mg/kg 10 max

Gp I metais (Na,K) mg/kg 5 max

GpII metais (Ca,Mg) mg/kg 5 max

12

BRASIL

ANP resol. 07

0,85-0,90

3.0-6.0

90%,360°C

100 min

19 max.

50 min

0.05 max (100%)

0.02 max

500 max

24 max

1

6 h min

anotar

0.5 max

0.20 max

96.5 min

anotar

anotar

anotar

0.02 max

0.25 max

anotar

10 max

5 max

5 max

Page 13: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

13

DEDINI NO BIODIESEL

• TECNOLOGIA:

UFRJ – UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO.

• ENGENHARIA / FABRICAÇÃO / MONTAGEM / UTILIDADES: DEDINI

12 ABRIL 2004 – A DEDINI REALIZA A PRIMEIRA VENDA NO BRASIL DE UMA PLANTA DE BIODIESEL.

CLIENTE: AGROPALMA - BELÉM, PA, GRUPO FARIA.

MATÉRIA-PRIMA: ÁCIDOS GRAXOS DE ÓLEO DE PALMA.

CAPACIDADE: 10.000 T/ANO

ROTA FLEXÍVEL: ETÍLICA OU METÍLICA.

Page 14: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

14

AGROPALMA - PLANTA DE BIODIESEL – BELÉM, PAAGROPALMA - PLANTA DE BIODIESEL – BELÉM, PAMARÇO, 2005MARÇO, 2005

FORNECIMENTO TURN-KEY DEDINIFORNECIMENTO TURN-KEY DEDINI

Page 15: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

Biodiesel na Dedini

Características :• Acido graxo de palma

• Acidez elevada– Esterificação ácida

Características ácido graxo destilado:

Caracteristica unidade valor

FFA % 80 Ponto fusão °C 42-46Índice de iodo g/100g 52

15

Page 16: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

Biodiesel na DediniResultado Biodiesel de ácido graxo de palma:

Característica Unidade EUROPA BRASIL AGROPALMA

Especificação EN 14214 ANP 07 RESULTADO

CFPP °CVerão:max. 0°

Inverno max. -20°C19 14

Enxofre mg/kg 10 max 50 max 0,001

Umidade mg/kg 500 max 500 max 0

Estabilidade oxidativa hrs;110°C 6 h min 6 h min 72

Número de cetano 51 min ANOTAR 69

Índice de acidez mgKOH /g 0.5 max 0.5 max 0,5

Teor de éster %mass 96.5 min 96.5 min 99,5

Monoglicerídeo %mass 0.8 max ANOTAR 0,01

Diglicerídeo %mass 0.2 max ANOTAR 0

Triglicerídeo %mass 0.2 max ANOTAR 0

Glicerol livre %mass 0.02 max 0.02 max 0,001

Glicerol total %mass 0.25 max 0.25 max 0

Índice de iodo 120 max ANOTAR 50

Fósforo mg/kg 10 max 10 max 1

(ENTUPIMENTO A FRIO)

16

Page 17: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

17

DEDINI NO BIODIESEL

Page 18: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

PIONEIRISMO:- PRIMEIRA USINA DE BIODIESEL POR PROCESSO CONTÍNUO DO BRASIL (AGO/2005).- MAIOR USINA DE BIODIESEL DO BRASIL (14% DA DEMANDA BRASILEIRA EM B2).- MAIOR USINA DE BIODIESEL A PARTIR DE SEBO BOVINO DO MUNDO: 100.000 T/ANO

Lins, SP

18

Page 19: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

Biodiesel na Dedini

100 kt/ano de biodiesel de sebo (SP)

2005 :Matéria prima: SeboPrimeira planta industrial no Brasil a base seboOperação: Março de 2007

19

Page 20: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

Biodiesel na Dedini

Características :• sebo

• Acidez – Uso de deacidificação para reduzir a acidez

Características sebo bovino (tipo A):

Caracteristica unidade valor

FFA % 3,5 max.Título (ponto fusão) °C 42-46Índice de iodo g/100g 35-45

20

Page 21: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

Biodiesel na DediniResultado Biodiesel de sebo:

CARACTERÍSTICA UNIDADE EUROPA BRASIL 50 SEBO/OLEO SEBO

Especificação EN 14214 ANP 07 RESULTADO RESULTADOViscosidade 40°C mm²/s 3.5-5.0 3.0-56.0 4,03 4,1

CFPP °CVerão:max. 0°

Inverno max. -20°C19 8 15

Umidade mg/kg 500 max 500 max 100 300

Estabilidade oxidativa hrs 6 h min 6 h min 8,3 16

Índice de acidez mgKOH /g 0.5 max 0.5 max 0,17 0,14

Teor de éster %mass 96.5 min 96.5 min 98,5 98,6

Monoglicerídeo %mass 0.8 max ANOTAR 0,47 0,64

Diglicerídeo %mass 0.2 max ANOTAR 0,15 0,15

Triglicerídeo %mass 0.2 max ANOTAR 0,01 0,06

Glicerol livre %mass 0.02 max 0.02 max 0,01 0,01

Glicerol total %mass 0.25 max 0.25 max 0,15 0,22

Índice de iodo 120 max ANOTAR 81,58 52,5

Fósforo mg/kg 10 max 10 max 5 7 21

Page 22: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

Biodiesel na Dedini

Edição n° 11

22

Page 23: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

23

DEDINI NO BIODIESEL

Page 24: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

24

Planta de Biodiesel integradaà Usina Barralcool

Usina Barralcool

INTEGRAÇÃO BIOETANOL ↔ BIODIESEL

DEDINI: INTRODUÇÃO PIONEIRA DO CONCEITO NO MERCADO E PRIMEIRO FORNECIMENTO MUNDIALUSINA BARRALCOOL: 1a USINA NO MUNDO A PRODUZIR OS 3 BIOS: BIOETANOL, BIOELETRICIDADE E BIODIESEL,MAIS BIOAÇÚCAR = USINA 4 BIOS

Page 25: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

25

BIOELETRICIDADE

ENERGIA+UTILIDADES

BIOETANOL+ ÁGUA

BIOETANOL ANIDRO

ÓLEO

TERRA

RECURSOS

SISTEMAS

GERENCIAMENTO

BIODIESEL

GLICERINA

BIOETANOL

AÇÚCARCANA

BIODIESEL

USINA DE ÓLEO

USINA DE BIODIESEL

VINHAÇA

PARCEIROS AGRÍCOLAS

GRÃOS

SEMENTESASSISTÊNCIA TÉCNICA

OUTRAS EMPRESAS

EFLUENTES

GRÃOS

SETOR AGRÍCOLA

USINA BARRALCOOL: FLUXOGRAMA OPERACIONAL

USINA DE AÇÚCAR E BIOETANOL

B30

Page 26: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

26INAUGURAÇÃO: 21/NOV/ 2006INAUGURAÇÃO: 21/NOV/ 2006

• 1ª PLANTA DE PROCESSO CONTÍNUO A USAR ROTA ETÍLICA NO MUNDO.

• FLEXIBILIDADE TOTAL: MÚLTIPLAS MATÉRIAS PRIMAS (TODOS OS ÓLEOS VEGETAIS E GORDURA ANIMAL) E ROTA TECNOLÓGICA: ETÍLICA E METÍLICA.

Page 27: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

INAUGURAÇÃO: 21/NOV/ 2006INAUGURAÇÃO: 21/NOV/ 2006

LULAPRESIDENTE DO

BRASIL

LULAPRESIDENTE DO

BRASIL

MAGGIGOVERNADOR DO

MATO GROSSO

MAGGIGOVERNADOR DO

MATO GROSSO

J. PETRONIPRESIDENTE DABARRALCOOL

J. PETRONIPRESIDENTE DABARRALCOOL

27

Page 28: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

Biodiesel na Dedini

2006 : USINA BARRALCOOL• Matéria prima: Sebo e óleo vegetal• Capacidade de 50.000 tpa• Operação: Novembro de 2006

Características :• Tratamento da matéria prima

• Acidez – Uso de deacidificação para reduzir a acidez do sebo

• Neutralização química para reduzir o fósforo e acidez do óleo de soja

28

Page 29: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

PROCESSOPRÉ-TRATAMENTO

Biodiesel

Glicerina

EtanolHidratado

Reação

Separação

Retificaçãodo metanol

Esterificação

Recuperaçãoda glicerina

Metanolanidro

EtanolAnidro

ÓleoNeutro

ÓleoDegomado Neutralização

SeboNeutro

SeboProcessado

Refino Físico

UsinaDesidratação

Pré-Tratamento & Processo

29

Page 30: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

30

A INTEGRAÇÃO DA PLANTA DE BIODIESEL EM INDÚSTRIAS DE ÓLEOS VEGETAIS

GRÃOS

OUTROS

FARELO

PROCESSODEGOMAGEM

ENEUTRALI-

ZAÇÃO

ÓLEOREFINADO

BIODIESEL

GLICERINA

GRANOL: 1ª PLANTA DE BIODIESEL INTEGRADA AINDÚSTRIA DE ÓLEOS VEGETAIS:• MATÉRIA PRIMA: ÓLEOS VEGETAIS.• CAPACIDADE: 100.000 T/ANO.• PROCESSO CONTÍNUO, ROTA METÍLICA

PROCESSOREFINO

PLANTABIODIESEL

ÓLEOBRUTO

UNIDADEESMAGADORA

DEGRÃOS

PIO

NE

IRIS

MO

DEDINI NO BIODIESEL

Page 31: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

Biodiesel na Dedini2006 :

• Matéria prima: Óleo vegetal de soja• Capacidade de 100.000 tpa• Operação: Novembro de 2.006/ Março 2007

100 kt/ano de biodiesel de soja (GO) 100 kt/ano de biodiesel de soja (GO)

31

Page 32: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

Biodiesel na Dedini

Características processo :• Matéria prima: óleo soja • Acidez – Uso de neutralização química para tratar

óleo de soja degomado (reduzir fósforo e acidez)• Esterificação ácida

• Ácido graxo do processo de biodiesel• Esterificação com catalisador ácido

Características óleo de soja degomado:

Caracteristica unidade valor

Acidez % 1,5Fosfóro ppm < 150Indice de iodo wijs 120-140

32

Page 33: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

Biodiesel na Dedini

Característica Unidade EUROPA BRASIL SOJA

Especificação EN 14214 ANP 07 RESULTADO

CFPP °CVerão:max. 0°

Inverno max. -20°C19 2

Enxofre mg/kg 10 max 50 max 5

Umidade mg/kg 500 max 500 max 400

Contaminação total mg/kg 24 max 24 max 16

Estabilidade oxidativa hrs 6 h min 6 h min 7,2

Índice de acidez mgKOH /g 0.5 max 0.5 max 0,38

Monoglicerídeo %mass 0.8 max ANOTAR 0,58

Diglicerídeo %mass 0.2 max ANOTAR 0,16

Triglicerídeo %mass 0.2 max ANOTAR 0,04

Glicerol livre %mass 0.02 max 0.02 max 0,01

Glicerol total %mass 0.25 max 0.25 max 0,18

Índice de iodo G/100G 120 max ANOTAR 133

Resultado Biodiesel de óleo de soja:

33

Page 34: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

Agrenco #1: 100.000 tpaAgrenco #1: 100.000 tpa Agrenco #2: 200.000 tpaAgrenco #2: 200.000 tpa

SÃO OS 2 PRIMEIROS PROJETOS INSTALADOS DO BRASIL COM A PRODUÇÃO DE BIODIESEL INTEGRADA AO RECEBIMENTO E AO PROCESSAMENTO DA SOJA ATÉ A

PRODUÇÃO DO ÓLEO

SÃO OS 2 PRIMEIROS PROJETOS INSTALADOS DO BRASIL COM A PRODUÇÃO DE BIODIESEL INTEGRADA AO RECEBIMENTO E AO PROCESSAMENTO DA SOJA ATÉ A

PRODUÇÃO DO ÓLEO

PRIMEIROS PROJETOS BRASILEIROS DE BIODIESEL FORNECENDO BIOELETRICIDADE EXCEDENTE VIA CAPIM ELEFANTE

PRIMEIROS PROJETOS BRASILEIROS DE BIODIESEL FORNECENDO BIOELETRICIDADE EXCEDENTE VIA CAPIM ELEFANTE

Agrenco #3: 100.000 tpa Agrenco #3: 100.000 tpa

DEDINI NO BIODIESEL

34

Page 35: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

Biodiesel na Dedini

100 kt/ano de biodiesel de palma (Colômbia)

2008 :Planta da EcopetrolMatéria prima: Óleo vegetal de palmaStatus: Finalizando montagem

35

Page 36: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

Biodiesel na Dedini

Características processo :• Matéria prima: óleo palma bruto• Acidez – Uso de deacidificação para reduzir a

acidez do óleo de palma• Esterificação ácida

• Ácido graxo destilado / Oleína da transesterificação• Esterificação com catalisador ácido

Características do óleo de palma bruto:

Caracteristica unidade valor

Acidez % < 5,0Ponto de fusão °C 34-38Fosfóro ppm < 20Indice de iodo g/100g 51-55

36

Page 37: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

Biodiesel na DediniResultado de Biodiesel de Palma :

Característica Unidade EUROPA BRASIL PALMA

Especificação EN 14214 ANP 07 RESULTADO

Massa espec. 15°C g/cm³ 0.86-0.90 0.85-0.90 875,7

Viscosidade 40°C mm²/s 3.5-5.0 3.0-5,6 4,5

CFPP °CVerão:max. 0°

Inverno max. -20°C19 10

Enxofre mg/kg 10 max 50 max <10

Umidade mg/kg 500 max 500 max 168

Estabilidade oxidativa hrs;110°C 6 h min 6 h min 20,7

Teor de éster %mass 96.5 min 96.5 min 97,59

Monoglicerídeo %mass 0.8 max ANOTAR 0,31

Diglicerídeo %mass 0.2 max ANOTAR 0,099

Triglicerídeo %mass 0.2 max ANOTAR 0,004

Glicerol livre %mass 0.02 max 0.02 max 0,016

Glicerol total %mass 0.25 max 0.25 max 0,111

Índice de iodo g/100 g 120 max ANOTAR 55,9

Fósforo mg/kg 10 max 10 max 0 37

Page 38: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

Biodiesel na Dedini

• Matéria prima representa mais de 80% custo• Pinhão Manso

• Extração do óleo• Transesterificação

• Matérias primas de baixo custo• gordura animal (sebo, aves, etc.)• óleo de fritura usado• óleos ácidos• ácidos graxo destilados• óleos vegetais de alta acidez

• Algas• Pesquisa em extração do óleo• Processo óleo biodiesel não deve ser crítico

Futuro :

38

Page 39: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

Biodiesel na DediniProcesso Industrial de Pinhão manso :

Grão de Pinhão manso40% casca – 36,5% óleo

Cascas

Grão descascado7,5% casca – 56 óleo%

Torta prensada12,5% casca – 25% óleo

Farelo após extração16% casca – 1% óleo

Óleo extraído

Biodiesel

100 TON

35 TON

Óleo prensado

28,8 TON 30- 35,5 TON

9,2 TON

27 TON

39

Page 40: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

Biodiesel na Dedini

Óleo Bruto de JatrophaP = 60 ppm ; FFA 2,5% - 5,0%

Degomagem ácidaGomas

Lavagem ou filtração

Deacidificação

Óleo neutro de JatrophaP: < 10 ppm; FFA: < 0,05%

Para a transesterificação

Ácido graxoFFA: 90%

Para a esterificação

Alto rendimento em biodiesel

40

Page 41: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

Biodiesel na Dedini

41

Page 42: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

Biodiesel na DediniMatérias primas de baixa qualidade :

Alta Pressão –Splitting

Matéria Prima

Destilação ácido graxo

Ácido graxo Esterificação

Biodiesel Ácido graxo Glicerina42

Page 43: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

Biodiesel na Dedini

Algas :

43

Page 44: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

Conclusão :

As diversas matérias primas possuem características intrínsecas que influenciam na especificação final do biodiesel;

Como matéria prima representa mais de 80% do custo de produção, é importante que as plantas de biodiesel estejam preparadas para operar com matérias primas diversas;

Processos industriais flexíveis e para processar diversos tipos de matérias primas já são uma realidade, faltando algumas soluções agrícolas competitivas em grande escala.

NOS FORNEÇA A MATÉRIA-PRIMA...

QUE A SOLUÇÃO INDUSTRIAL – NÓS TEMOS!!!

Biodiesel na Dedini Dedini no Biodiesel

44

Page 45: Cópia de Cópia de Jose_Oliverio

OBRIGADO PELA ATENÇÃO

[email protected]

019 3403 3006

Planta Flexível de Biodiesel... Uma solução atual e que também atende ao futuro!!!

45