pesquisa do desenvolvimento e benefÍcios do taijiquan...

of 34 /34
UNICAMP UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE KUNG FU WUSHU (CBKW) CURSO DE GRADUAÇÃO EM TAI CHI CHUAN TCC PESQUISA DO DESENVOLVIMENTO E BENEFÍCIOS DO TAIJIQUAN NAS UNIDADES DE SAÚDE DE SÃO SEBASTIÃO DO PARAÍSO - MG MARCIO LUIZ ZAQUEU ORIENTADOR: PAULO HIROSHI SAKANAKA São Sebastião do Paraíso MG 2010

Author: lecong

Post on 26-Mar-2018

216 views

Category:

Documents


3 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • UNICAMP UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS

    CONFEDERAO BRASILEIRA DE KUNG FU WUSHU (CBKW)

    CURSO DE GRADUAO EM TAI CHI CHUAN

    TCC

    PESQUISA DO DESENVOLVIMENTO E BENEFCIOS DO

    TAIJIQUAN NAS UNIDADES DE SADE DE SO SEBASTIO DO

    PARASO - MG

    MARCIO LUIZ ZAQUEU

    ORIENTADOR: PAULO HIROSHI SAKANAKA

    So Sebastio do Paraso MG

    2010

  • PESQUISA DO DESENVOLVIMENTO E BENEFCIOS DO

    TAIJIQUAN NAS UNIDADES DE SADE DE SO SEBASTIO DO

    PARASO - MG

    MARCIO LUIZ ZAQUEU

    TCC apresentada a CBKW (Confederao

    Brasileira de Kung Fu Wushu) Diretoria de

    Internos, na UNICAMP (Universidade Estadual

    de Campinas) como parte dos requisitos para

    obteno do titulo de Professor Nvel I de

    Taijiquan.

    Orientador: Prof. Paulo Hiroshi Sakanaka.

    So Sebastio do Paraso MG

    2010

  • vi

    PESQUISA DO DESENVOLVIMENTO E BENEFCIOS

    DO TAIJIQUAN NAS UNIDADES DE SADE DE SO

    SEBASTIO DO PARASO - MG

    AVALIAO: ( ) ____________

    PAULO HIROSHI SAKANAKA

    Professor Orientador

    TOMAZ CHAN HON KIT

    Professor Avaliador da Banca

    MARCUS VINICIUS F. ALVES

    Professor Avaliador da Banca

    So Sebastio do Paraso MG

    2010

  • vii

    DEDICATRIA

    A Deus, que tudo me deu para concluir esse trabalho,

    ao meu professor orientador Paulo Hiroshi Sakanaka, pela

    oportunidade e o exemplo mpar de pessoa que , minha

    famlia que me deram foras sem medida, mesmo com

    todas as dificuldades inclusive abrir mo de vrias

    oportunidades de participao familiares com minha

    ausncia nos finais de semana para concluir o curso.

  • viii

    AGRADECIMENTOS

    A Deus, pois sem ele no seria possvel! Ele

    fortaleza e me manteve perseverante mesmo diante das

    dificuldades deste curso. Agradeo aos auxiliares de

    aulas: Willian e Aline pela pacincia , dedicao,

    correes e incentivos. Aos amigo (a)s do curso com os

    quais muito aprendi. A Eliana Matheus Delfante por no

    medir esforos na implantao o Taijiquan junto

    Secretaria de Sade de So Sebastio do Paraso, ao

    Prefeito Mauro Zanin. e ao amigo, Tomas Martins pelo

    incentivo, acreditar na seriedade deste trabalho no projeto

    Cidade Viva; Ao Saudoso Mestre e pai Chan Wah San por

    me orientar e me ensinar as artes marciais e em toda

    minha formao de carter. Ao Mestre e amigo Chen Chin

    Yao pelo apoio em todo momento sem medir esforos e

    aos meus alunos e amigos que sempre acreditaram e

    deram fora para que eu pudesse seguir em frente.

  • ix

    DIZ UMA LENDA CHINESA QUE:

    AMIZADES VERDADEIRAS

    SO COMO RVORES

    DE RAZES PROFUNDAS.

    NENHUMA TEMPESTADE

    CONSEGUE ARRANCAR!

    E SUN TSUN DISSE!

    No preciso ter olhos abertos para ver o sol, nem

    preciso ter ouvidos afiados para ouvir o trovo. Para ser

    vitorioso voc precisa ver o que no est visvel.

    Sun Tsun

  • x

    Sumrio

    Resumo.......................................................................................................................................

    INTRODUO .........................................................................................................................7

    Objetivo Geral ...................................................................................................................... 10

    Objetivos Especficos.......................................................... Error! Bookmark not defined.

    Justificativa ............................................................................ Error! Bookmark not defined.

    Mtodo ..................................................................................... Error! Bookmark not defined.

    Instrumento ............................................................................ Error! Bookmark not defined.

    Pesquisa de Campo ............................................................. Error! Bookmark not defined.

    Discusso ............................................................................... Error! Bookmark not defined.

    Consideraes Finais ........................................................................................................ 24

    Referncias........................................................................................................................... 25

    Anexo........................................................................................................................27

    file:///F:/Sumrio%20TCC%20Mrcio%20ok.doc%23_Toc248521670%23_Toc248521670file:///F:/Sumrio%20TCC%20Mrcio%20ok.doc%23_Toc248521671%23_Toc248521671file:///F:/Sumrio%20TCC%20Mrcio%20ok.doc%23_Toc248521672%23_Toc248521672file:///F:/Sumrio%20TCC%20Mrcio%20ok.doc%23_Toc248521673%23_Toc248521673file:///F:/Sumrio%20TCC%20Mrcio%20ok.doc%23_Toc248521674%23_Toc248521674file:///F:/Sumrio%20TCC%20Mrcio%20ok.doc%23_Toc248521677%23_Toc248521677file:///F:/Sumrio%20TCC%20Mrcio%20ok.doc%23_Toc248521678%23_Toc248521678file:///F:/Sumrio%20TCC%20Mrcio%20ok.doc%23_Toc248521679%23_Toc248521679file:///F:/Sumrio%20TCC%20Mrcio%20ok.doc%23_Toc248521680%23_Toc248521680file:///F:/Sumrio%20TCC%20Mrcio%20ok.doc%23_Toc248521687%23_Toc248521687file:///F:/Sumrio%20TCC%20Mrcio%20ok.doc%23_Toc248521688%23_Toc248521688

  • xi

    RESUMO

    A proposta deste projeto demonstrar que o desenvolvimento do taijiquan

    nas Unidades de Sade e ao ar livre, nas praas da cidade de So Sebastio do

    Paraso - MG, vem colaborando para uma melhoria da qualidade de vida da

    populao e apresentar o resultado de uma pesquisa realizada com os participantes

    da prtica do Taijiquan e da ginstica chinesa,verificando as condies fsicas e

    emocionais das pessoas anteriores aps o incio do tratamento e aps o processo

    de reabilitao. Os resultados comprovaram a eficcia da prtica do taijiquan na

    melhoria da qualidade de vida dos participantes .

    Os relatos colhidos entre os praticantes possibilita verificar a importncia do

    desenvolvimento do taijiquan e ginsticas chinesas para a sade do indivduo.

    Considera-se que os exerccios de Taijiquan e ginsticas chinesas que trabalham

    respirao, relaxamento mental e fsico, movimentos suaves em constncia rtmica,

    concentrao no desenvolvimento dos movimentos; faz com que o praticante se

    sinta mais disposto no seu dia a dia, tenha uma qualidade de vida melhor tanto nos

    aspectos biolgicos, quanto nos aspectos psquicos e emocionais, com melhoria da

    autoestima e at mesmo desaparecimento de alguns sintomas patolgicos.

    Palavras-chave: Taijiquan, ginsticas chinesas, Unidades de Sade, qualidade de

    vida.

  • 7

    INTRODUO

    Nem sempre em nosso pas houve um cuidado com os aspectos relevantes sade

    do indivduo. Por isso no havia pesquisas voltadas para os fatores tanto a nvel

    externo quanto internos que levavam as pessoas ao adoecimento. Porm, a partir da

    implantao do Sistema nico de Sade (SUS) comeou a surgir um interesse maior

    pela qualidade de vida das pessoas.

    Apenas em 1988, a Constituio Federal implementou o acesso sade

    como direito de todos. O atendimento, antes era oferecido pelo Estado, somente a

    quem tinha vnculo empregatcio e carteira assinada. Com a criao do Sistema

    nico de Sade (SUS), surgem alguns princpios bsicos de atendimento sade:

    universalidade, equidade, integralidade dentre outros, deste modo todos os cidados

    passam a ter direito sade.

    Como o Brasil um pas com grandes contrastes que passam a gerar

    problemas especficos de sade, houve uma proposta prevista pelo SUS, de

    reorganizao do sistema de sade. Para atender as especificidades das diferentes

    situaes de vida dos vrios grupos populacionais, surge a implantao da

    estratgia de Sade da Famlia, em um contexto de descentralizao dos princpios

    assistenciais do SUS. (MINISTRIO DA SADE)

    Dentro desta tica, as propostas previstas pelo SUS, de reorganizao do

    sistema de sade, indicam que a populao no conquistar sua sade apenas com

    a cura das doenas, mas constatou-se a necessidade do abandono do modelo

    tradicional de assistncia mdico hospitalar individual, centrado na doena, para

    uma ao direta coletiva dentro do ambiente fsico e social da famlia, com

    participaes democrticas da comunidade, nascendo assim o Programa de Sade

    da Famlia. Portanto, no se pode compreender ou transformar a situao de sade

    de uma pessoa ou de uma coletividade sem levar em considerao as diferentes

    situaes produzidas nas relaes do sujeito com o meio e as diferenas scio-

    culturais de cada grupo. Desta maneira a sade passa a ser vista como um estado

  • 8

    completo de bem-estar fsico, mental e social e no apenas a ausncia de doenas.

    (O.M.S, 1948).

    Segundo o Ministrio da Sade, o Programa de Sade da Famlia consiste

    em uma estratgia que prioriza as aes de promoo da sade, preveno,

    recuperao, reabilitao de doenas e agravos mais frequentes, de forma integral e

    contnua.

    O conceito de Terapias Alternativas refere-se s prticas teraputicas que

    no so comumente consideradas como parte integrante da prtica mdica aloptica

    convencional. Elas podem no ter as explicaes biomdicas, mas algumas foram

    pesquisadas mais profundamente (modalidades de fisioterapia, homeopatia,

    acupuntura, e atualmente o Taijiquan e ginsticas chinesas), tornando-se

    amplamente aceitas, enquanto outras como a radioterapia, caram em desuso

    lentamente, mas ainda so importantes notas histricas. Assim o uso racional de

    remdios, o entendimento de uma vida cultural ativa, a promoo do contato e a

    convivncia dos indivduos por meio da participao de um grupo com grande

    variedade de experincias, poderiam contribuir para a melhora geral do seu estado

    fsico. Isso pode ser confirmado de acordo com divulgao do Ministrio da Sade

    em quatro de janeiro de 2010, os brasileiros vm apresentando um maior interesse

    para as chamadas medicinas alternativas, como homeopatia, acupuntura, plantas

    medicinais, fitoterapia, taigijian e at termalismo, dentro do Sistema nico de Sade

    (SUS).

    De acordo com o Ministrio da Sade, as prticas corporais como Lian Gong

    e Taigijian, se tornaram mais acessveis aos usurios do SUS. Em 2008, o sistema

    contabilizou alta de 358% nestes procedimentos, num total de 126.652 tratamentos

    efetuados. Um ano antes, esse nmero era de 27.646. O acesso gratuito s prticas

    integrativas no Pas foi garantido pela portaria n. 971.

    Segundo Madel Luz (s.d.):

    Essas prticas esto em outro paradigma, no relacionado medicina, mas sade propriamente dita, com prticas de promoo da sade e aumento da vitalidade (...). As terapias alternativas esto centradas no sujeito doente e no em patologias especificas a serem combatidas.

  • 9

    Dentro desta modalidade de medicina alternativa pode-se destacar o

    Taijiquan e as ginsticas chinesas: estas artes milenares chinesas se manifestam

    em uma sucesso de movimentos lentos, suaves, sem esforo muscular nem fadiga,

    regidos pela mente e coordenados pela respirao.

    Essas atividades visam o equilbrio, a harmonia e vida longa aos seus

    praticantes. O mundo tem se rendido cada vez mais a estas modalidades milenares

    que tanto tm contribudo a quem dela faz uso para uma busca de seu bem estar

    dirio.

    A sensvel diminuio dos custos farmacolgicos, devido existncia de

    uma ateno prioritria a preveno de doenas tem sido uma das importantes

    conquistas desse projeto desenvolvido nas unidades de Sade de So Sebastio do

    Paraso - MG.

    Conforme Madel Luz (2005, p.163):

    A medicina chinesa e a prtica de exerccios derivados das artes marciais, como o Taijiquan, deixam o indivduo menos dependente de remdios e de mdicos, tornando-se um agente da cura de si mesmo. Atualmente as medicinas alternativas dispem de um grande nmero de informaes e de uma postura teraputica frente aos indivduos doentes que no deve ser ignorado muito menos desprezadas.

  • 10

    OBJETIVO GERAL

    1. Compreender como os usurios experienciam e se sentem com a prtica do

    Taijiquan e ginsticas chinesas, nas Unidades de Sade de So Sebastio

    do Paraso MG, no seu dia a dia.

    2. Realizar pesquisa de campo com os praticantes para obteno de dados

    concretos, abrindo novos horizontes para outras pesquisas.

    OBJETIVOS ESPECFICOS

    1. Avaliar o bem estar fsico e emocional dos praticantes antes e o depois da

    prtica do Taijiquan e ginsticas chinesas em grupo.

    2. Compreender como os praticantes percebem a melhora em sua sade

    biopsicossocial na prtica do Taijiquan.

    JUSTIFICATIVA

    Sabe-se que hoje em dia o uso de Terapias Alternativas vm aumentando

    significativamente na sociedade. E o Taijiquan e as ginsticas chinesas tm ganhado

    destaque em Hospitais e centros de sade.

    Acredita-se que de suma importncia reconhecer, compreender e verificar

    o quanto essas Terapias Alternativas tm afetado os pacientes significativamente em

    sua sade e os resultados na vida cotidiana.

    Nesse sentido, deve-se levar em conta que de alguma forma todo indivduo

    faz uso dos centros de sade e certamente participam da mesma sociedade.

    Portanto socialmente relevante que se saiba se essas terapias so experincias

    vlidas para os indivduos na restaurao da sade e do bem estar.

  • 11

    Mtodo

    Sujeitos

    Participaram desta pesquisa quarenta usurios do sexo feminino do municpio

    de So Sebastio do Paraso - MG que participam do Projeto Bem Viver.

    Instrumento

    Utilizou-se a entrevista como instrumento de coleta de dados.

    Segundo Marconi e Lakatos (1999) a entrevista um encontro entre duas

    pessoas que possibilita obteno de informaes a cerca de um assunto, mediante

    uma conversa de natureza profissional. Utilizou-se a entrevista semi estruturada

    que de acordo com (Gil, 2006): consiste na realizao de um roteiro de entrevista

    estruturado, mas que se no decorrer da entrevista o entrevistado se afastar da

    pergunta inicial, o entrevistador poder intervir para que consiga obter as

    informaes necessrias.

    O entrevistado no precisa saber ler e escrever e nos oferece a oportunidade

    de estarmos conhecendo algumas atitudes ou condutas que eles possam vir

    apresentar durante a entrevista.

    O roteiro de entrevista foi desenvolvido pela Secretaria de Sade de So

    Sebastio do Paraso MG conforme anexo 1.

  • 12

    PESQUISA DE CAMPO

    Objetivo

    O objetivo geral deste trabalho foi analisar as diferenas nos aspectos da sade

    biopsicossocial entre os praticantes do Taijiquan e Ginsticas Chinesas no perodo

    de nove meses com prticas especficas de 50 minutos duas vezes por semana.

    Hipteses

    Esperava-se que os praticantes de Taijiquan e Ginsticas Chinesas obtivessem

    maior disposio para realizar os movimentos e melhoria na qualidade de vida, com

    diminuio de manifestaes patolgicas, obtendo melhor nvel de qualidade nos

    aspectos fsicos, emocionais e sociais.

    Metodologia

    Participaram deste estudo 40 pessoas voluntrias, com idade entre 49 e 72 anos

    respondendo ao questionrio - Verso Brasileira do Questionrio de Qualidade de

    Vida SF- 36 - em diversos bairros de So Sebastio do Paraso MG. Tambm

    foram coletados dados pessoais das participantes, porm sero mantidos em sigilo

    garantido a confidencialidade da pesquisa.

    Resultados

    Os resultados obtidos foram surpreendentes, comprovando a eficcia obtida com a

    prtica do taijiquan e ginstica chinesa, conforme pode ser observado nos grficos

    que se seguem:

    Pesquisa de Qualidade de Vida aos Praticantes do Taijiquan em diversos bairros do

    nosso municpio,

  • 13

    Pesquisa realizada entre os dias 26 a 30 de julho de 2010, onde sabatinou-se as

    condies fsicas e emocionais anteriores, aps o incio do tratamento e atualmente,

    posterior a todo o processo de reabilitao dos exerccios do Taijiquan.

    Pacientes que praticam Taijiquan: 330

    Amostra de pacientes pesquisados: 40

    Intervalo de Confiana: 90,86%

    Nvel de intervalo de confiana: 5%, sendo 2,5% para mais e 2,5% para menos

    Paciente com maior idade: 79 anos

    Paciente com menor idade: 42 anos

    Mdia de idade: 63 anos e 9 meses

    98,48% dos pacientes do sexo feminino

    Mdia de tempo de tratamento dos 40 pacientes pesquisados: 9 meses.

  • 14

    1 ) Em geral voc diria que sua sade ?

    2 ) Comparada h um ano atrs, como voce classificaria sua sade em geral, agora?

    3 ) Os seguintes itens so sobre atividades que voc poderia fazer atualmente

    durante um dia comum. Devido sua sade, voc teria dificuldade para fazer estas

    atividades? Neste caso, quando?

  • 15

    Atividades rigorosas, que exigem muito esforo; tais como: correr, levantar objetos

    pesados, participar em esportes rduos;

    Atividades moderadas, tais como mover uma mesa, passar aspirador de p, jogar

    bola, varrer a casa;

    Levantar ou carregar mantimentos;

    Subir vrios lances de escada;

    Subir um lance de escada;

    Curvar-se, ajoelhar-se ou dobrar-se;

    Andar mais de um quilmetro;

    Andar vrios quarteires;

    Andar um quarteiro;

    Tomar banho ou vestir-se.

  • 16

    4 ) Durante as ltimas quatro semanas, voc teve alguns dos seguintes problemas

    com seu trabalho ou com alguma atividade regular, como consequncia de sua

    sade fsica?

    Voc diminuiu a quantidade de tempo que dedicava-se ao seu trabalho ou outras

    atividades?

    Realizou menos tarefas do que voc gostaria?

  • 17

    Esteve limitado no seu tipo de trabalho ou a outras atividades?

    Teve dificuldade de fazer seu trabalho ou outras atividades (ex: Necessitou de um

    esforo extra)?

    5) Durante as ltimas quatro semanas, voc teve algum dos seguintes problemas

    com seu trabalho ou outra atividade regular diria, como consequencia de algum

    problema emocional (como sentir-se deprimido ou ansioso)?

    Voc diminuiu a quantidade de tempo que dedicava-se ao trabalho ou outras

    atividades?

    Realizou menos tarefas do que voc gostaria?

    No realizou ou fez qualquer das atividades com tanto cuidado como geralmente

    faz?

  • 18

    6) Durante as ltimas quatro semanas, de que maneira sua sade fsica ou

    problemas emocionais interferiram nas suas atividades sociais normais, em relao

    familia, amigos ou em grupo?

  • 19

    7) Durante as ltimas quatro semanas, quanto a dor interferiu com seu trabalho

    normal (incluindo o trabalho dentro de casa)?

    8) Quanta dor no corpo voce teve durante as ltimas quatro semanas?

  • 20

    9) Estas questes so sobre como voc se sente e como tudo tem acontecido com

    voc durante as ltimas quatro semanas. Para cada questo, por favor, d uma

    resposta que mais se aproxime da maneira como voc se sente, em relao s

    ltimas quatro semanas.

    Quanto tempo voc tem se sentido cheio de vigor, de vontade, de fora?

    Quanto tempo voc tem se sentido uma pessoa muito nervosa?

    Quanto tempo voc tem se sentido to deprimido que nada pode anim-lo?

    Quanto tempo voc tem se sentido calmo ou tranquilo?

    Quanto tempo voc tem se sentido com muita energia?

    Quanto tempo voc tem se sentido desanimado ou abatido?

    Quanto tempo voc tem se sentido esgotado?

    Quanto tempo voc tem se sentido uma pessoa feliz?

    Quanto tempo voc tem se sentido cansado?

  • 21

  • 22

    10) Durante as ltimas quatro semanas, quanto do seu tempo sua sade fsica ou

    problemas emocionais interferiram com as sua atividades sociais (como visitar

    amigos, parentes, etc.)?

    11) O quanto verdadeiro ou falso cada uma das afirmaes para voc?

    Eu costumo adoecer um pouco mais facilmente que as outras pessoas;

    Eu sou to saudvel quanto qualquer pessoa que eu conheo;

    Eu acho que a minha sade vai piorar;

    Minha sade e excelente.

  • 23

    Percentual de evoluo no processo de reabilitao dos pacientes que praticam o

    Taijiquan:

    Discusso

    A partir de relatos dos prprios praticantes das atividades pde-se perceber os

    benefcios gerados com a prtica do taijiquan e ginstica chinesa, pois era bem

    comum ouvir entre eles a melhoria da qualidade de vida, como: diminuio das

    dificuldades gastrointestinais, dores lombares e citicas, melhor disposio para

    atividades cotidianas, menos cansao, qualidade maior no sono, melhoria de apetite,

    menos manifestao de dores articulares e at mesmo desaparecimento dos

    sintomas, com curas.

    Para a maioria das participantes, no h apenas melhoras nos aspectos da sade

    fsica, como tambm na sade mental e social; pois alm de todos os benefcios

    percebidos na sade, h tambm uma melhor proximidade entre as

    pessoas,estabelecendo novos vnculos afetivos e enriquecendo suas vidas sociais,

    por maior contato e dilogo com troca de experincias.

  • 24

    CONSIDERAES FINAIS

    Considera-se que esta foi uma experincia mpar possibilitando entrar em

    contato com o universo feminino, percebendo os benefcios biopsicossocial da

    prtica do taijiquan para essas mulheres que muitas vezes, chegam s atividades

    com uma postura depressiva, marcada por manifestaes patolgicas e medida

    que vo se inserindo no universo da prtica do taijiquan reestabelecem o equilbrio

    emocional e tornam-se mais alegres, expansivas e dispostas.

    O trabalho realizado serve como norteador do desejo de aprofundar nas

    prticas de artes milenares como o taijiquan e ginstica chinesa, percebendo seus

    benefcios para o indivduo em todos os seus aspectos de vida.

    Esta experincia vem comprovar a crena de que possvel trabalhar com a

    promoo da sade do indivduo, evitando assim o foco nos aspectos de doena,

    gerando uma melhor qualidade de vida tanto a nvel individual quanto social.

    Cuidar da sade dever e direito de todos e buscar alternativas inovadoras

    e ao mesmo tempo milenar, vem demonstrando a necessidade de um olhar mais

    amplo para o indivduo em nossa cultura ocidental.

    Por isso, fundamental que se desenvolva nas pessoas a conscincia de

    que se deve cuidar da sade nos aspectos biopsicossocial e que o taijiquan e a

    ginstica chinesa so alternativas cada vez mais reconhecidas e aceita entre os

    ocidentais devido ao alto resultado de benefcios para o corpo e a mente, que no

    podem ser vistos separadamente.

  • 25

    REFERNCIAS

    DEPARTAMENTO DE ATENO BSICA Programa Sade Famlia Ateno Primria. Disponvel em: http://dtr2004.saude.gov.br/dab/atencaobasica.php. Acesso em: 29. nov. 2010.

    GIL, A. C. Mtodos e tcnicas de pesquisa social. 7. ed. So Paulo: Atlas, 2006.

    GOMES. R. A anlise de dados em pesquisa qualitativa. In: Minayo, M.C.S. (Org). Pesquisa social: teoria, mtodo e criatividade. Petrpolis: Vozes, 1994, p. 74-76.

    LUZ, M. T. Cultura Contempornea e Medicina Alternativa: novos paradigmas em sade no fim do sculo XX. Physis, Rio de Janeiro, 2005, v. 7, n.1, jun. 1997 p. 145-176

    _______________. Ditadura da doena e utopia da sade: coexistncia de modelos nas prticas sociais. Integridade em sade. Rio de Janeiro, s. d. Entrevista. Disponvel em:http://www.lappis.org.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=165&sid=2 Acesso em: 24.nov.2010.

    MARCONI. A. M. e LAKATOS. E. M. Tcnicas de pesquisa. 4 ed. So Paulo : Atlas, 1999 p. 94-98.

    MINISTRIO DA SADE. Informaes de sade. SUS de A a Z. Disponvel em: http://portal.saude.gov.br/portal/saude/area.cfm?id_area=997. Acesso em: 8.nov. 2010

    ORGANIZAO MUNDIAL DE SADE (1948). Disponvel em: http://www.mp.al.gov.br/institucional%5Ccentros_de_apoio%5C1_cao%5Cinfancia_e_juventude%5Clegislacao%5CConstitui%C3%A7%C3%A3o%20da%20Organiza%C3%A7%C3%A3o%20Mundial%20da%20Sa%C3%BAde.pdf. Acesso em 8. nov. 2010.

    http://dtr2004.saude.gov.br/dab/atencaobasica.phphttp://portal.saude.gov.br/portal/saude/area.cfm?id_area=997http://www.mp.al.gov.br/institucional%5Ccentros_de_apoio%5C1_cao%5Cinfancia_e_juventude%5Clegislacao%5CConstituio%20da%20Organizao%20Mundial%20da%20Sade.pdfhttp://www.mp.al.gov.br/institucional%5Ccentros_de_apoio%5C1_cao%5Cinfancia_e_juventude%5Clegislacao%5CConstituio%20da%20Organizao%20Mundial%20da%20Sade.pdfhttp://www.mp.al.gov.br/institucional%5Ccentros_de_apoio%5C1_cao%5Cinfancia_e_juventude%5Clegislacao%5CConstituio%20da%20Organizao%20Mundial%20da%20Sade.pdf

  • 26

    TERAPIAS ALTERNATIVAS. Biblioteca virtual de sade. Decs - Descritores em Cincia da Sade. Disponvel em: http://decs.bvs.br/cgi-bin/wxis1660.exe/decsserver/#PageTop. Acesso 27. nov. 2010.

    http://decs.bvs.br/cgi-bin/wxis1660.exe/decsserver/#PageTophttp://decs.bvs.br/cgi-bin/wxis1660.exe/decsserver/#PageTop

  • 27

    VERSO BRASILEIRA DO QUESTIONRIO DE QUALIDADE DE VIDA SF - 36

    Instrues: Esta pesquisa questiona voc sobre sua sade. Estas informaes nos

    mantero informados de como voc se sente e quo bem voc capaz de fazer

    suas atividades de vida diria.

    Responda toda questo marcando a resposta como indicado. Caso voc esteja

    inseguro ou em dvida em como responder, por favor, tente responder o melhor que

    puder.

    1 - Em geral voc diria que sua sade

    (ANTES)

    Excelente Muito Boa Boa Ruim Muito Ruim

    1 2 3 4 5

    (DEPOIS)

    Excelente Muito Boa Boa Ruim Muito Ruim

    1 2 3 4 5

    2 Comparada h um ano atrs, como voc classificaria sua sade em geral, agora?

    (ANTES)

    Muito Melhor Um Pouco Melhor

    Quase a Mesma

    Um Pouco Pior Muito Pior

    1 2 3 4 5

    (DEPOIS)

    Muito Melhor Um Pouco Melhor

    Quase a Mesma

    Um Pouco Pior Muito Pior

    1 2 3 4 5

  • 28

    3 - Os Seguintes itens so sobre atividades que voc poderia fazer atualmente

    durante um dia comum. Devido sua sade, voc teria dificuldade para fazer

    estas atividades? Neste caso, quando?

    * Nas questes abaixo, responda com o n 1 (um), quando a resposta for (sim,

    dificulta muito), 2 (dois) para (sim, dificulta um pouco) e 3 (trs) para (no, dificulta

    de modo algum).

    a) Atividades Rigorosas, que exigem muito esforo, tais como correr, levantar

    objetos pesados, participar em esportes rduos.

    ( Antes...............) (Depois...................)

    b) Atividades Moderadas, tais como mover uma mesa, passar aspirador de p, jogar

    bola, varrer a casa.

    c) Levantar ou carregar mantimentos.

    ( Antes...............) (Depois...................)

    d) Subir vrios lances de escada.

    ( Antes...............) (Depois...................)

    e) Subir um lance de escada.

    ( Antes...............) (Depois...................)

    f) Curvar-se, ajoelhar-se ou dobrar-se.

    ( Antes...............) (Depois...................)

    g) Andar mais de um quilometro.

    ( Antes...............) (Depois...................)

    h) Andar vrios quarteires.

    ( Antes...............) (Depois...................)

    i) Andar um quarteiro.

    ( Antes...............) (Depois...................)

    j) Tomar banho ou vestir-se.

    ( Antes...............) (Depois...................)

  • 29

    * Nas questes 4 e 5 abaixo, responda com o n 1 (um) para (Sim) e 2 (dois) para

    (no).

    4 Durante as ltimas quatro semanas, voc teve algum dos seguintes

    problemas com seu trabalho ou com alguma atividade regular, como

    conseqncia de sua sade fsica?

    a) Voc diminuiu a quantidade de tempo que dedicava-se ao seu trabalho ou a

    outras atividades?

    ( Antes...............) (Depois...............)

    b) Realizou menos tarefas do que voc gostaria?

    ( Antes...............) (Depois................)

    c) Esteve limitado no seu tipo de trabalho ou com outras atividades?

    ( Antes...............) (Depois...............)

    d) Teve dificuldade de fazer seu trabalho ou outras atividades ( por ex. necessitou de um esforo extra)?

    ( Antes...............) (Depois...............)

    5 - Durante as ltimas quatro semanas, voc teve algum dos seguintes

    problemas com seu trabalho ou outra atividade regular diria, como

    conseqncia de algum problema emocional ( como sentir-se deprimido ou

    ansioso)?

    Voc diminuiu a quantidade de tempo que dedicava-se ao seu trabalho ou a outras

    atividades?

    ( Antes............) (Depois..............)

    Realizou menos tarefas do que voc gostaria?

    ( Antes............) (Depois..............)

    No realizou ou fez qualquer das atividades com tanto cuidado como geralmente

    faz?

    ( Antes............) (Depois..............)

  • 30

    * Nas questes 6 e 7 abaixo, responda com o n (um), quando a resposta for (De

    forma nenhuma), 2 (dois) para (ligeiramente), 3 (trs) para (moderadamente), 4

    (quatro) para (bastante), e 5 (cinco) para (extremamente).

    6 Durante as ltimas quatro semanas, de que maneira sua sade fsica ou

    problemas emocionais interferiram nas suas atividades sociais normais, em

    relao famlia, amigos ou em grupo?

    ( Antes............) (Depois..............)

    7 Durante as ltimas quatro semanas, quanto a dor interferiu com seu

    trabalho normal (incluindo o trabalho dentro de casa)?

    ( Antes............) (Depois..............)

    8 Quanta dor no corpo voc teve durante as ltimas 4 semanas? (circule

    uma)

    (ANTES)

    Nenhuma Muito Leve Leve Moderada Grave Muito grave

    1 2 3 4 5 6

    (DEPOIS)

    Nenhuma Muito Leve Leve Moderada Grave Muito grave

    1 2 3 4 5 6

    9 Estas questes so sobre como voc se sente e como tudo tem acontecido

    com voc durante as ltimas quatro semanas. Para cada questo, por favor, d

    uma resposta que mais se aproxime da maneira como voc se sente, em

    relao s ltimas quatro semanas.

    *Nas questes abaixo, responda com o n 1 (um), quando a resposta for (Todo

    tempo), 2 (dois) para (a maior parte do tempo), 3 (trs) para (uma boa parte do

    tempo), 4 (quatro) par a (alguma parte do tempo), 5 (cinco) para (uma pequena parte

    do tempo) e 6 (seis) para (nunca)

  • 31

    a) Quanto tempo voc tem se sentido cheio de vigor, de vontade, de fora?

    ( Antes............) (Depois..........)

    b) Quanto tempo voc tem se sentido uma pessoa muito nervosa?

    ( Antes............) (Depois..........)

    c) Quanto tempo voc tem se sentido to deprimido que nada pode anim-lo?

    ( Antes............) (Depois..........)

    d) Quanto tempo voc tem se sentido calmo ou tranquilo?

    ( Antes............) (Depois..........)

    e) Quanto tempo voc tem se sentido com muita energia?

    (Antes............) (Depois..........)

    f) Quanto tempo voc tem se sentido desanimado ou abatido?

    ( Antes............) (Depois..........)

    g) Quanto tempo voc tem se sentido esgotado?

    ( Antes............) (Depois..........)

    i)Quanto tempo voc tem se sentido uma pessoa feliz?

    ( Antes............) (Depois..........)

    j) Quanto tempo voc tem se sentido cansado?

    ( Antes............) (Depois..........)

    10 Durante as ltimas quatro semanas, quanto do seu tempo a sua sade

    fsica ou problemas emocionais interferiram com as suas atividades sociais

    (como visitar amigos, parentes, etc.). (circule uma).

    (ANTES)

    Todo tempo A maior parte do tempo

    Alguma parte do tempo

    Uma pequena parte do tempo

    Nenhuma parte do tempo

    1 2 3 4 5

    (DEPOIS)

    Todo tempo A maior parte do tempo

    Alguma parte do tempo

    Uma pequena parte do tempo

    Nenhuma parte do tempo

    1 2 3 4 5

  • 32

    11 O quanto verdadeiro ou falso cada uma das afirmaes para voc?

    * Nas questes abaixo, responda com o n 1 (um), quando a resposta for

    (definitivamente verdadeiro), 2 (dois) para (a maioria das vezes verdadeiro), 3 (trs)

    para (no sei), 4 (quatro) para (a maioria das vezes falso), e 5 (cinco) para

    (definitivamente falso).

    a) Eu costumo adoecer um pouco mais facilmente que as outras pessoas

    ( Antes............) (Depois..........)

    b) Eu sou to saudvel quanto qualquer pessoa que conheo.

    ( Antes............) (Depois..........)

    c) Eu acho que a minha sade vai piorar.

    ( Antes............) (Depois..........)

    d) Minha sade excelente.

    ( Antes............) (Depois..........)

    Os aparatos da pesquisa sero: caneta, formulrio da pesquisa.